O colégio, norteado por valores e princípios cristãos e católicos, objetiva contribuir com qualidade para a formação dos alunos, a fim de prepará-los para conviver em harmonia e respeito à pluralidade, num ambiente acolhedor, fraterno e respeitoso, incentivando-os continuamente à prática do bem, de acordo com os ideais da beata Rita Amada de Jesus - fundadora da instituição mantenedora.

No Projeto Pedagógico desenvolvido na escola, o educando é estimulado a desenvolver todas as suas potencialidades unindo o conhecimento e a ética, objetivando, no futuro, a sua inserção social e profissional de forma cidadã e transformadora.

Criança ansiosa: como os pais podem ajudar os filhos a lidar com as emoções

O que fazer ao se deparar com uma criança ansiosa? Embora medos e preocupações fortes possam aparecer em momentos diferentes durante o desenvolvimento dos pequenos, quando eles surgem de maneira persistente ou extrema, a ponto de interferirem na escola, em casa ou nas brincadeiras, a criança pode ser diagnosticada com um transtorno de ansiedade infantil

Como perceber se seu filho está com as características de uma criança ansiosa e como ajudá-lo a lidar com as emoções? É isso que você descobrirá neste post. Confira!

O que pode causar ansiedade em crianças?

Para começar, se você está desconfiando que seu filho está com sintomas de ansiedade, é preciso reconhecer quais são as preocupações e os medos típicos de crianças pequenas e possíveis comportamentos ansiosos. Veja alguns exemplos: 

  • medo quando está longe dos pais (ansiedade de separação);
  • medo extremo de uma coisa ou situação específica, como cães, insetos ou de ir ao médico (fobias);
  • muito medo da escola e de outros lugares onde há pessoas (ansiedade social);
  • excesso de preocupação com o futuro e com coisas ruins que possam acontecer (ansiedade geral);
  • episódios repetidos de medo intenso repentino, inesperado e associado a sintomas como palpitação, dificuldade para respirar, tontura, tremores ou suor (transtorno do pânico).

Além do medo e da preocupação, a ansiedade pode ser manifestada com irritação e raiva. Alguns sintomas físicos podem incluir dificuldade para dormir, cansaço, dor de cabeça e dor de estômago.

Como os pais podem ajudar a criança ansiosa?

Ao suspeitar de um quadro de ansiedade, é fundamental relatar o caso ao pediatra, que poderá indicar a ajuda de outros profissionais, como psicólogos ou psiquiatras. Por outro lado, é importante que os pais tomem algumas atitudes práticas, como as listadas a seguir.

Garanta uma rotina de vida saudável

Diante de um quadro de ansiedade, uma das principais ações, além do tratamento clínico, é o estabelecimento de comportamentos saudáveis em casa. Entre eles, você deve incluir:

  • um plano de alimentação balanceado, com alimentos que ajudem a acalmar — como vegetais, grãos e fontes de proteína magra. Evite fritura, açúcar refinado e bebidas industrializadas;
  • a prática de atividades físicas diariamente — como brincar de correr, pular, jogar bola e nadar;
  • momentos em família para conversar;
  • uma rotina de sono adequada.

Pratique atividades relaxantes

Ouvir músicas suaves, ler um livro, contar histórias, assistir a bons filmes ou meditar são ótimas práticas relaxantes para uma criança ansiosa. Você pode incluir algumas até mesmo próximo da hora de dormir, para que seu filho vá se acalmando.

Um ponto de atenção é o uso de TV, celular ou tablet à noite, pois esses dispositivos são estimulantes visuais e podem causar agitação em vez de relaxar.

Demonstre empatia pelos sentimentos da criança

Jamais despreze os sentimentos do seu filho. Por mais banais que possam parecer os medos e as preocupações da criança, lembre-se de que são questões relativas ao universo dela

Para se livrar de pensamentos que não ajudam o seu filho a ficar bem, o primeiro passo é externá-los, e a família é esse importante canal. Mesmo que você não tenha respostas, ofereça carinho, suporte e deixe que a criança expresse suas emoções sem julgamentos ou repreensões.

Aos poucos, ensine seu filho a reconhecer os sentimentos e pensamentos, a pensar positivo e respirar com tranquilidade. Tudo isso ajuda a diminuir a ansiedade.

Tenha um plano de ação para crises de ansiedade

Diante de uma crise de ansiedade do seu filho, é importante manter o controle da situação até ela passar. Mantenha a calma, fale suavemente palavras positivas e oriente-o a respirar pausadamente até se acalmar.

respiração coordenada é um dos mais poderosos recursos terapêuticos, pois ajuda a diminuir a frequência cardíaca e mudar o foco da atenção, por exemplo, para manter o ritmo de cada inspiração e expiração.

Agora que você já sabe um pouco mais sobre como lidar com uma criança ansiosa, lembre-se de que a colaboração da família é muito importante para ensinar os filhos a lidarem com a gestão das emoções. Aposte sempre no diálogo aberto com seus filhos e observe atentamente qualquer alteração no comportamento deles.