O colégio, norteado por valores e princípios cristãos e católicos, objetiva contribuir com qualidade para a formação dos alunos, a fim de prepará-los para conviver em harmonia e respeito à pluralidade, num ambiente acolhedor, fraterno e respeitoso, incentivando-os continuamente à prática do bem, de acordo com os ideais da beata Rita Amada de Jesus - fundadora da instituição mantenedora.

No Projeto Pedagógico desenvolvido na escola, o educando é estimulado a desenvolver todas as suas potencialidades unindo o conhecimento e a ética, objetivando, no futuro, a sua inserção social e profissional de forma cidadã e transformadora.

Conheça 5 livros sobre sentimentos para dar aos seus filhos!

Gestão emocional é um assunto exclusivo de adultos? De forma alguma! Reconhecer e gerenciar as próprias emoções também é muito importante para as crianças, e os livros sobre sentimentos são ótimas opções para ajudar seu filho a desenvolver essa capacidade.

A literatura oferece inúmeros benefícios aos seres humanos de qualquer idade. Para os pequenos, além do forte estímulo à aprendizagem, ela possibilita que o contato com o universo emocional seja mais tranquilo, leve e até divertido.

As histórias geram identificação, pois apresentam personagens que passam por determinadas situações que despertam emoções parecidas com as da criança. Isso colabora para que ela aprenda a distingui-las, bem como a buscar soluções criativas para lidar com as emoções.

A seguir, listamos 5 livros que tratam de variados sentimentos, dos mais gostosos de sentir aos mais incômodos, para você dar ao seu filho! Acompanhe!

1. O Livro dos Sentimentos, de Todd Parr

Os sentimentos moram numa mesma casa, chamada coração, mas como decifrar cada um deles ou explicá-los aos pais quando se apresentam de modo confuso ou mesmo contraditório? O livro de Todd Parr ajuda os pequenos nessa missão.

Os escritos e ilustrações são bem divertidos e atrativos. Uma boa ideia é ler cada uma das situações, mostrar as imagens e perguntar ao seu filho se ele já sentiu ou se está sentindo algo parecido. As respostas costumam ser surpreendentes!

2. A Parte que Falta, de Shel Siverstein

Esse livro ficou bastante conhecido aqui no Brasil devido a um vídeo postado em 2018 pela influenciadora digital Jout Jout. De forma delicada e sensível, a obra traz a mensagem de que não é possível ter sempre tudo o que se deseja (e isso não se restringe aos bens materiais).

Em outras palavras, a narrativa mostra que as sensações de vazio e de falta fazem parte da experiência humana. Sem julgamento de valor, a história revela que o desapontamento e a frustração são emoções válidas, e que há beleza até mesmo na incerteza.

3. Tenho Monstros na Barriga, de Tonia Casarin

O protagonista Marcelo é um menino que sente coisas “esquisitas” dentro da sua barriga. Ao longo da história, ele entra em contato com oito emoções, e as apelida de “monstrinhos”: raiva, curiosidade, medo, orgulho, tristeza, ciúme, coragem e alegria.

O livro foi publicado em 2016, com apoio de um financiamento coletivo. A autora, Tonia Casarin, é mestre em Educação (Universidade da Columbia, New York, Estados Unidos).

4. O Monstro das Cores, de Anna Llenas

Nessa história escrita pela arte-terapeuta Anna Llenas, cada sentimento é representado por uma cor diferente. No começo, o personagem principal se vê diante de uma bagunça de cores, isto é, um turbilhão de emoções.

Conforme a narrativa vai avançando, ele consegue identificar, organizar e, principalmente, aprender a lidar com cada um desses sentimentos.

5. A Raiva, de Blandina Franco

O livro de Blandina Franco trata sobre, nada mais nada menos, do que a raiva. Sim, esse sentimento inconveniente, que ninguém gosta de sentir, mas que, no fundo, todo mundo sente.

O intuito principal da história é auxiliar os pequenos a adquirir consciência da raiva, para que consigam gerenciá-la de forma saudável. Por essa razão, podemos dizer que ela serve de aprendizado não só para as crianças, mas também para os adultos.

literatura é uma aliada do processo de autoconhecimento e autocontrole emocional infantil. Vale dizer que é fundamental que a garotada aprenda que todos os sentimentos são válidos e que nenhum deles deve ser represado. Desse modo, acolher os filhos e ajudá-los a administrar as próprias emoções é a maior lição que as narrativas citadas neste post fornecem aos pais.