Educação Fundamental I

A proposta pedagógica deste nível considera a importância da contextualização e da relação entre teoria e prática. Desse modo, prioriza a integração entre as áreas, relacionando os diversos saberes que compõem o conhecimento escolar. Outro aspecto importante é a educação para o pluralismo como princípio ativo de enriquecimento cultural e cívico.
Nas séries iniciais do Ensino Fundamental (1º ao 5º ano) são trabalhadas pela professora regente, de modo integrado, as seguintes áreas de conhecimento: Língua Portuguesa, Matemática, Ciências, Geografia, História, Arte, Filosofia ( Educação para o pensar)  e Ensino Religioso. As áreas trabalhadas pelos professores com formação específica são: Língua Estrangeira Moderna, Música, e Educação Física.

Quanto à avaliação da aprendizagem no 1º ano do Ensino Fundamental de nove anos a Unidade Escolar opta pela avaliação formativa, assumindo como princípios a aprendizagem de qualidade, a avaliação processual, diagnóstica, participativa (MEC/SEB, 2006a).


No 1.º ano do Ensino Fundamental de nove anos de duração o processo de avaliação dará continuidade ao já adotado na Educação Infantil. Esse processo tem como principal instrumento de avaliação a observação sistemática das crianças pelo professor. Além da observação, utilizam-se como instrumento de avaliação os registros realizados pelos alunos nos portfólios e nas sondagens. As sondagens que têm como objetivo a visualização do desenvolvimento real da criança a partir da percepção de alguns de seus conhecimentos com relação ao desenho infantil, à aquisição da língua escrita e à alfabetização matemática. Por meio desse instrumento é possível identificar hipóteses estabelecidas, a fim de se planejar ações e estratégias que contribuam para a consolidação ou desestruturação dessas hipóteses.


O registro dessa avaliação é repassado aos pais, trimestralmente por meio dos relatórios trimestrais de avaliação e portfólios. Esses relatórios apresentam uma síntese do desenvolvimento da criança nas áreas cognitiva, psicomotora e socioafetiva, não tendo o caráter de classificação, seleção ou retenção na série.
Para alunos de 2.º a 5.º ano, a avaliação, em todas as áreas de conhecimento, tem como objetivo a verificação das aprendizagens consolidadas pelo aluno (desenvolvimento real), contribuindo para a retroalimentação do processo pedagógico. 


A avaliação processual prevê a utilização de diversos instrumentos, em parceria com a coordenação pedagógica. Na avaliação processual, um mesmo instrumento pode ser utilizado na verificação de uma ou mais áreas de conhecimento, promovendo a integração destas durante a avaliação também.


As médias obtidas, com a aplicação dos diferentes instrumentos, são repassadas aos alunos trimestralmente por meio de um boletim informativo.


O atendimento aos alunos de menor rendimento se dá por meio da recuperação imediata (realizada em sala de aula, pelo próprio professor), paralela (no contra turno para as áreas de Língua Portuguesa e Matemática), periódica (ao final do trimestre), em todas as áreas de conhecimento e final. A recuperação final será realizada após o término do ano letivo para os alunos cuja média anual seja inferior a 7,0 (sete) e  frequência igual ou superior a 75% (setenta e cinco por cento).
 
PPP- Rede Jesus Maria José de Educação